2009/01/16

4/7/1776- as 13 colónias declaram-se independentes

6 comentários:

Anónimo disse...

A Bandeira dos Estados Unidos da América consiste em 13 faixas horizontais, um rectângulo azul no canto superior esquerdo, com 50 pequenas estrelas brancas. Cada uma destas estrelas simboliza um Estado do país, e cada uma das faixas horizontais representa uma das antigas Treze Colónias.
- O vermelho simboliza resistência e valor;
- O branco simboliza a pureza e inocência;
- O azul representa vigilância, perseverança e justiça.
Visto que a América se encontrava ainda sob comando da Inglaterra, a sua bandeira representava ainda vestígios da antiga metrópole. A partir de 14 de Julho de 1777, os E.U.A. adoptam um símbolo mais independente…as 13 estrelas que representavam os Estados fundadores da América.
Ao longo dos anos a bandeira americana tem evoluído, ou seja, as suas estrelas passaram de 13 para 50.
50 Estados constituem os Estados Unidos da América.



maria graça bessa nº19 11ºJ

Rosário Borralheiro disse...

Li Maria.

DianaFaria disse...

Muito provavelmente, sem a popularidade do cinema estadunidense, o 4 de julho não seria tão conhecido na esfera mundial como de fato é.

4 de julho é significado de patriotismo exacerbado, de louvação aos grandes presidentes, generais e colonizadores da “América livre”. É claro que para o ufanismo existe o contraponto da crítica, que ajuda a amenizar a histeria com o que é difundido pela cultura cinematográfica. Vide a isso exemplos de filmes como “Apocalypse Now“, “Nascido Para Matar” e “A Mulher Faz o Homem“.

Abaixo, segue lista de 10 filmes que massageiam o ego da patriotada do norte.

10º - O Resgate do Soldado Ryan ( Saving Private Ryan/Steven Spielberg)

Neste clássico de guerra, é marcante o realismo das cenas - em especial, a do desembarque das tropas nas praias da Normandia, e o maniqueísmo não é gritante, quando se retrata os soldados alemães. Contudo, a aparição da bandeira dos EUA tremulando na cena inicial e na final traz um resquício a la “4 de julho” na obra de Spielberg.







9º - O Álamo ( The Alamo/John Wayne)

John Wayne, conhecido pelo seu conservadorismo, sempre traduziu nas telas a imagem de “bom moço defensor dos ideais de seu país ”. Na direção deste filme de 1960, John Wayne traduz o “espírito leal e corajoso” dos pioneiros, quando confronta estes com as ”malfadadas” tropas mexicanas disputando o território do Texas, antes sob o domínio mexicano.





8º - Pearl Harbour (Pearl Harbour/ Michael Bay)

Como diria uma música do filme “Team America“: “Pearl Harbour” é uma bosta. Direção histérica de Michael Bay, um triângulo amoroso de fazer vergonha a elenco de novela do Wolf Maia: Ben Affleck, Josh Hartnett e Kate Beckinsale. E ainda tem o ufanismo. Ah,é, tem isso também. Mas ninguém percebe muito, porque o filme já é uma bosta antes de analisarmos esse aspecto.










7º - Fomos Heróis ( We Were Soldiers/ Randall Wallace)

Junte Mel Gibson com o roteirista de “Coração Valente” dirigindo essa produção. Acrescente a isso uma história de bravura indômita e lealdade ao país. Eis o resultado de “Fomos Heróis”.







6º - Os Boinas Verdes (The Green Berets/ John Wayne)

John Wayne rema contra a maré do cinema político dos EUA dos anos 60. Neste “Os Boinas Verdes”, de 1969, ele reforça seu apoio aos EUA na impopular Guerra do Vietnã. Reforce-se a isto a procura em mostrar a supremacia militar das tropas, que, na realidade, mostrava-se combalida e frágil.









5º Força Aérea Um ( Air Force One/Wolfgang Petersen)

O presidente dos EUA, Harrison Ford, faz justiça com as próprias mãos ao salvar o avião mais seguro do mundo ( o avião presidencial), do ataque de terroristas estrangeiros. Precisa explicar o porquê deste filme ser o 5º da lista?









4º Independence Day ( Independence Day/Roland Emmerich)

O presidente dos EUA (Bill Pulmann) é, como no filme acima, a figura principal. Só que este ganha do presidente de Harrison Ford porque salva o MUNDO! E não somente um reles avião presidencial com um bucado de passageiro dentro. Cumpre reiterar que MUNDO é a mesma coisa que Estados Unidos da América nestes filmes. Parece que a única intenção dos alienígenas no filme é somente destruir a paz e a liberdade nos EUA, o resto do planeta é mera brincadeira.









3º Rambo 2 - A Missão ( Rambo 2/George P. Cosmatos)

O destemido John Rambo, na cara e na coragem, liberta um bando de prisioneiros norte-americanos no sudeste asiático, onde a cobra fuma. E tome bala nos amarelos.













2º O Patriota (The Patriot/ Roland Emerich)

Junte Mel Gibson e seu ódio pelos ingleses (vide Coração Valente) com Roland Emerich (diretor de Independence Day), na batalha pela independência norte-americana. Festival de choros, injustiças, enfim - tudo o mais que agrada aos olhos de todo bom patriota, até mesmo o título.





1º O Nascimento de Uma Nação (The Birth of a Nation/ David W. Griffith)

Este marco do cinema, de 1915, relata a Guerra de Secessão americana sob a ótica sulista escravocrata. Destaque em especial para o vilão negro retratado no filme como um homem perverso e manipulador. D.W. Griffith, o diretor do filme, foi acusado de racismo, tanto que em sua obra seguinte: “Intolerância”, procurou amenizar as críticas. Porém, o patriotismo americano - encarnado pelo branco conservador - tem muito de influência deste filme ainda hoje.

DianaFaria disse...

4 de julho - O mais importante feriado americano




4 de Julho, Dia da Independência dos Estados Unidos da América. Muita gente não tem idéia do que esta data significa ao povo americano.

Tudo começou em 1607. Naquele ano, um pequeno grupo de colonizadores fundou a primeira colônia inglesa permanente na América.

Posteriormente, 13 outras colônias se espalharam pela costa Atlântica, todas elas sob o domínio do rei da Inglaterra e com mais de 2 milhões de colonizadores. No centro, Pensilvânia, New York, New Jersey e Delaware; no norte, Massachussetts, New Hampshire, Rhode Island e Connecticut e no sul, Virginia, Maryland, Carolina do Norte, Carolina do Sul e Georgia.

Quando a Inglaterra resolveu cobrar impostos dos colonizadores, muitos se recusaram a comprar os produtos tributados dando início a uma grande revolta contra a Inglaterra. Um ato contra a cobrança de impostos, de grande importância em 1773 foi "Boston Tea Party", em Boston - Massachussetts, onde colonizadores, disfarçados de indíos, destruiram mais de 3 centenas de caixas de chá retirando-as dos navios ingleses e jogadando-as ao mar. Várias leis intoleráveis impostas pela Coroa Inglesa, provocaram a convocação do primeiro Congresso Continental de Filadélfia, em 1774, pedindo ao Rei e ao Parlamento a revogação da legislação autoritária e igualdade de direitos aos colonizadores.

Tais revoltas dão início à Guerra da Independência em 1775. Um ano depois foi formulada a Declaração da Independência para proclamar a separação das 13 colônias americanas da Inglaterra. Escrita por uma comissão de 5 membros e liderada por Thomas Jefferson, foi promulgada em 4 de julho de 1776 na Filadélfia por delegados de todos os territórios.

A Declaração dos Estados Unidos da América é inspirada nos ideais do Iluminismo e defende a liberdade individual e o respeito aos Direitos Fundamentais do ser humano.

A data de 4 de Julho é o mais importante feriado americano. Celebrado com paradas, eventos esportivos e fogos de artifícios. A bandeira americana é hasteada e decorações com fitas azuis, vermelhas e brancas são utilizadas em cerimônias públicas.

DianaFaria disse...

http://www.youtube.com/watch?v=FH6dUmF4AA0

Anónimo disse...

A Bandeira dos Estados Unidos da América consiste em 13 faixas horizontais, cujas cores são vermelho (que cobrem o topo e a parte de baixo da bandeira) alternando com branco. Há um rectângulo azul no canto superior esquerdo, com 50 pequenas estrelas brancas. Cada uma destas estrelas simboliza um Estado do país, e cada uma das faixas horizontais representa uma das antigas Treze Colônias. O vermelho simboliza resistência e valor, o branco simboliza a pureza e inocência, e o azul representa vigilância, perseverança e justiça.

A Bandeira dos Estados Unidos da América é comumente chamada de The Stars and Stripes (Estrelas e Faixas) ou Old Glory (Velha Glória). O cognome Old Glory foi cunhado pelo Capitão William Driver, de Salem, Massachusetts, em 1831, e foi muito usada durante o período no qual a bandeira possuía 48 estrelas, entre 1912 a 1959.



Micaela 11ºj Nº21