2009/02/19

sugestões de leitura

De D. Afonso Henriques, o 1º rei a ter amantes, a D. Dinis, um rei de grande fogosidade, a D. João V, conhecido pelas suas aventuras amorosas dentro do convento de Odivelas, a D. José e à relação com Teresa de Távora, da qual até a rainha tinha conhecimento, a D. Pedro IV, que se deixou contagiar pelos amores em terras de Vera Cruz, ou a D. Carlos que se interessava mais pelas questões da carne do que pela governação. Por detrás da história oficial dos reis portugueses e dos seus casamentos de Estado com princesas de toda a Europa, esconde-se uma história de paixões arrebatadoras, filhos ilegítimos e amores ilícitos que nunca foi contada. Damas da rainha, prostitutas, barregãs, negras, escravas, cantoras líricas, actrizes, mulheres do povo ou senhoras da alta burguesia, todas competiam pela atenção e pelos favores do rei. Se madame Pompadour ganhou estatuto de amante na corte francesa do rei Luís XV com as regalias que daí lhe advinham, poucas são as amantes dos reis portugueses que ficaram conhecidas na História.

As Origens de Origens de Portugal - história contada a uma criança, "é de algum modo uma obra ímpar do homem que se distinguiu como professor e pedagogo mas também como poeta autor de uma poesia ao mesmo tempo simples e profunda, apreciada por um vasto público. Com ilustrações do autor, de traço ingénuo, que conferem ao livro um encanto particular, esta obra recheada de ensinamentos, acessível a crianças dos primeiros anos de escolaridade mas que muitos adultos lerão com agrado, vai ao encontro das raízes da nacionalidade, dos sucessos que marcaram o nascimento de Portugal e do génio dos povos que aqui viveram e nos legaram um rico património espiritual e material. A mais recente edição de "As Origens de Portugal" é, como as anteriores, um fac-simile do texto ilustrado original, e inclui o capítulo manuscrito sobre o reinado de Afonso II, descoberto entre os papéis do autor já depois da sua morte"(Frederico Gama Carvalho)


Luis Rosa narra uma das mais trágicas paixões que a nossa memória colectiva jamais esqueceu. É como se a história estivesse a ser revivida por quem escreve e quem lê. E tudo isto sem esquecer o rigor histórico posto na investigação dos personagens, do ambiente e sobretudo da intriga que culmina na tragédia que se abateu sobre o amor infinito de Pedro e Inês.

Neste livro, ´A Canja do Imperador´, o jornalista J. A. Dia Lopes conta as curiosas histórias em torno da vida e da mesa de personalidades de várias épocas. A obra revela as preferências culinárias e curiosidades à mesa de reis, rainhas, imperadores, papas, escritores, chefs famosos e outros nomes conhecidos da humanidade, através de uma coletânea com 74 crônicas que têm como personagens principais D. Pedro I, D. Pedro II, D. JOÃO VI, João Paulo II, John F. Kennedy, Marilyn Monroe, Hemingway, Freud, Churchill, Balzac, Casanova, Átila, Nostradamus, Portinari, Napoleão, Carlos Magno, Salvador Dalí, Grace Kelly, Carmen Miranda, entre outros. Cada crónica contém uma receita, às vezes desenvolvida pelo próprio personagem e testada por algum chef conhecido ou cozinheiro.

3 comentários:

Anónimo disse...

Estas sugestões de leitura são boas, uma vez que ajudam a aprender mais sobre história e a melhorar a nossa cultura geral.

Carlos César 8ºD

Rosário Borralheiro disse...

Concordo consigo Carlos e parabéns pela estreia em grande(no blog)!!!

marina magalhães 11ºI disse...

por sugestao da professora eu li o livro "as amantes dos reis de Portugal" e achei muito interessante porque e uma forma de ver o lado mais humano dos nossos reis...