2009/05/11

/Módulo 6: 11º Ano


O mapa acima representa a divisão política da Europa em 1914.
1 - Espanha
2 - França
3 - Império-Germânico
4 - Áustria-Hungria
5 - Romênia
6 - Itália
7 - Sérvia
8 - Bulgária
9 - Grécia
10 - Rússia
11 - Império-Otomano





INDUSTRIALIZAÇÃO E TRABALHO DAS MULHERES
"A mulher trabalhadora ganhou no século XIX uma proeminência extraordinária. (...) No século XIX ela foi observada, descrita e documentada com uma atenção sem precedentes, enquanto os seus contemporâneos debatiam a conveniência, a moralidade e até a legalidade das suas actividades assalariadas. (...) As questões que ela levantava eram sempre as mesmas: deve a mulher trabalhar por um salário? Qual o impacto do trabalho assalariado no corpo feminino e na sua capacidade de desempenhar as funções maternais e familiares? Que género de trabalho é adequado para uma mulher? (...)

As mulheres eram associadas ao trabalho barato, mas nem todo o trabalho barato era considerado apropriado para elas. Se eram consideradas aptas para trabalhar nos têxteis, na confecção, no calçado, no tabaco, na alimentação e na marroquinaria, raramente eram encontradas nas minas, na construção civil, na construção mecânica ou naval, mesmo quando havia necessidade de mão-de-obra considerada não qualificada. (...)

O trabalho para que eram contratadas mulheres era definido como trabalho de mulher, algo adequado às suas capacidades físicas e aos níveis inatos de produtividade. Deste discurso resultava a divisão sexual no mercado de trabalho, limitando as mulheres a alguns empregos e não outros, colocando-as sempre na base de qualquer hierarquia ocupacional e estabelecendo os seus salários abaixo do nível básico de subsistência. (...)Adaptado de História das Mulheres, Círculo de Leitores.

Os grandes contrastes sociais da civilização industrial

Para o beau monde de Paris, ontem foi um dia notável: tivemos a primeira representação longamente esperada dos "Huguenotes" de Mayerbeer, na Ópera, seguida pelo primeiro baile de Rothschild, na sua nova casa. Como saí apenas às quatro da manhã, e ainda não dormi, estou muito cansado para descrever-lhes o local da festa, e o magnífico palácio construído inteiramente no estilo do Renascimento, pelo qual os convidados passeiam, exprimindo a sua admiração e o seu espanto. O palácio reúne tudo o que o espírito do século XVI podia conceber, e o dinheiro do século XIX pode pagar. (...) É a Versalhes do monarca financeiro absoluto... Como em todas as recepções Rothschild, os convidados foram escolhidos pela sua categoria social, os homens pelas suas posições os nomes aristocráticos, as mulheres pela sua beleza e elegância. (Heine, Carta de 1 de Março de 1836, in "Os Rothschilds").



Tinha 7 anos quando comecei a trabalhar na manufactura: o trabalho era a fiação de lã; as horas de trabalho decorriam entre as 5 da manhã e as 8 da noite, com um intervalo de 30 minutos ao meio-dia para repousar e comer; não havia tempo para repousar e comer à tarde. Devíamos tomar refeições como pudéssemos, em pé ou de outro modo. Eu tinha 14 horas e meia de trabalho efectivo aos sete anos; o meu salário era de 3 francos e 10 por semana (...). Nesta manufactura, havia cerca de 50 crianças mais ou menos da minha idade; estas crianças muitas vezes estavam indispostas e de má saúde. Havia sempre uma meia dúzia de crianças doentes devido ao excesso de trabalho. (...) Era à força do chicote que as crianças se mantinham no trabalho. Esta era a principal ocupação de um contramestre: fustigar as crianças para as fazer trabalhar excessivamente.(Testemunho de um operário inglês perante uma comissão de inquérito, 1832.

Os meios de transporte evoluiram de forma lenta até à Revolução Industrial do Séc.XVIII. Numa primeira fase, com a introdução de avanços tecnológicos como a aplicação da máquina a vapor ao tráfego ferroviário e ao marítmo, foi possível pela primeira vez o transporte de matérias-primas a longas distâncias,substituindo a tracção animal e a vela, usadas até então. Posteriormente, a descoberta do motor de explosão, a aplicação da electricidade aos transportes e, anos depois, com o automóvel e o avião, foi posssível concretizar grandes progressos tecnológicos, nomeadamente, melhorando as acessibilidades, diminuindo a distância-tempo e a distância-custo. Esta é uma característica fundamental do nosso tempo, contribuindo para mudanças profundas que aumentaram em grande escala as possibilidades de mobilidade e tornaram os meios de transporte acessíveis a um crescente número de pessoas.

2 comentários:

Anónimo disse...

sempre que leio textos que falam sobre o trabalho infantil fico pensativa e sempre me pergunto como seria a minha vida se tivesse nascido nessa epoca... não encontro resposta possivel ja que era uma realidade tao cruel que nos dias de hoje com a vida confortavel que temos não é possivel se quer imaginar.. o facto é que em pleno sec. XXI ainda existem crianças nesta situaçao, algo que me deixa bastante triste e revoltada..

gosto bastante deste assunto e ler textos como este...


Cristina Sousa 11ºH

Rosário Borralheiro disse...

Gosto que os goste de ler, Cristina, e sim, a pensar...Obrigada.